COMPROMISSO ILHA DE SÃO NICOLAU: DISCURSO DO PRESIDENTE DO MPD

Compromisso São Nicolau
CONFERÊNCIA COMPROMISSO ILHA DE SÃO NICOLAU

DISCURSO DO PRESIDENTE DO MPD – DR. ULISSES CORREIA E SILVA

É com elevado sentido de responsabilidade e de compromisso que estamos nesta Ilha bonita e majestosa.

Estou aqui para partilhar convosco a minha visão, a minha ambição, a minha confiança e a minha determinação quanto ao futuro promissor desta ilha e do nosso país.

Estou aqui para assumir compromissos.

Compromisso com a liberdade

Um forte compromisso com a Liberdade.

Connosco ninguém será prejudicado, condicionado ou diminuído nos seus direitos em função das suas preferências políticas ou partidárias.

Um forte compromisso com a liberdade exige uma nova atitude no exercício do poder. Exige colocar o poder ao serviço de todos.

O Estado, o Governo, as Câmaras Municipais devem estar ao serviço de todos os cabo-verdianos, sem qualquer tipo de discriminação política.

Todos devem ser iguais perante o Estado e perante a lei.

Um forte compromisso com a liberdade exige transformar a luta contra a pobreza numa luta pela liberdade das pessoas.

Luta para as pessoas terem acesso ao rendimento através do trabalho para cuidarem da sua vida.

Luta para as pessoas terem acesso à segurança social e à protecção social por direito próprio e não como uma esmola ou dádiva do Governo, que depois vem cobrar em condicionamentos da liberdade política das pessoas.

Um forte compromisso com a liberdade exige tornar a sociedade civil autónoma e promover a cidadania.

Estes princípios fazem uma grande diferença para termos uma administração pública despartidarizada, profissional e que presta bom serviço às pessoas e às empresas;

Para criarmos igualdade de oportunidades para todos.

Para colocarmos o governo ao serviço de todos os cabo-verdianos e de todas as ilhas, sem discriminação.

Para libertarmos e mobilizarmos as forças internas e as energias criativas, inovadoras, responsabilizadoras e participativas dos cidadãos.

A nossa missão é servir Cabo Verde.

A nação cabo-verdiana está acima do governo e acima dos partidos políticos. É por Cabo Verde que estou aqui.

Compromisso com o desenvolvimento

Estou aqui para assumir um forte compromisso com o desenvolvimento.

Desenvolvimento para as pessoas terem acesso aos bens e serviços para satisfazerem as necessidades básicas, libertarem-se da pobreza, poderem progredir socialmente e economicamente e serem felizes.

Desenvolvimento que cria oportunidades para os jovens terem acesso à educação de qualidade, à formação, a saídas profissionais, ao emprego, ao empreendedorismo, à constituição da sua família e à reprodução da felicidade.

Desenvolvimento através de um crescimento económico inclusivo que reduza as desigualdades sociais e as desigualdades entre as ilhas.

Desenvolvimento para transformar cada ilha num espaço agradável para viver e numa economia moderna geradora de empregos e de empregos de qualidade.

Compromisso com o emprego

Estou aqui para assumir um forte compromisso com a criação de oportunidades de emprego em todas as ilhas.

Não é através da assistência, nem do condicionamento que se criam empregos e se sustentam os rendimentos.

Ninguém sai da pobreza pela via da assistência. Nenhum país se desenvolve na base da assistência.

É através do emprego, do trabalho e da produção gerados pela economia, que criamos condições para as pessoas serem livres, terem rendimento para cuidarem da sua alimentação, da saúde, da educação, da habitação e da sua felicidade.

O drama do desemprego só se consegue resolver pondo a economia a funcionar e a crescer nos seus diversos sectores e em todas as ilhas.

É através da criação de condições para que haja investimentos, produção e empreendedorismo no turismo, nos serviços, no comércio, na construção civil, na agricultura, na pecuária, nas pescas e na industria que se criam oportunidades de emprego e de rendimento.

A economia tem que gerar empregos e empregos de qualidade. Não podemos oferecer aos nossos jovens soluções tipo venda de canja e pastel ou deixá-los à mercê da sorte de algum trabalho nas obras.

Não podemos bloquear as saídas profissionais dos jovens e baixar as suas expectativas e esperanças ao ponto de deixarem de acreditar nas suas próprias capacidades e nas capacidades do país e de ficarem à mercê das práticas perversas daqueles cujo único propósito é manterem-se no poder a qualquer custo.

Para a economia criar empregos, ela tem que crescer. Não a taxa média de 1,4% como temos actualmente, mas a taxas médias anuais superiores a 7%, que é o nível adequado para gerar emprego e reduzir a pobreza.

É nosso compromisso melhorar significativamente a competitividade da nossa economia para colocar o país na rota do crescimento, a crescer a mais de 7%.

S. Nicolau uma ilha com história

Esta ilha, hoje isolada e meio abandonada no meio do atlântico, já foi, considerada uma das principais ilhas de Cabo Verde.

A grande riqueza agrícola de São Nicolau fez com que esta ilha fosse considerada, desde o século XVI, como uma das mais importantes do arquipélago.

São Nicolau foi a primeira ilha de Cabo Verde a ter ensino “superior”, durante cerca de 50 anos, desde 1867 até 1917, data em que a extinção do seminário viria a ser decretada.

Esta ilha sempre teve uma grande tradição de ensino.

Existiu sempre nesta ilha um elevado espírito de curiosidade e vontade de experimentação.

Estamos em presença de um povo imensamente laborioso, civilizado, pacífico e hospitaleiro, que sabe receber bem em sua casa e honra os compromissos a que se obriga.

Terra de filhos ilustres como José Lopes da Silva, Pedro Monteiro Cardoso, Juvenal Cabral e Baltasar Lopes da Silva, que pertencem ao nosso património e são o orgulho da nossa nação.

Uma ilha com este passado, com este património, tem condições para construir um futuro de progresso e de bem estar para as suas gentes.

Vamos vencer o atraso estrutural que separa São Nicolau do resto de Cabo Verde e colocar esta ilha no caminho do crescimento económico e do desenvolvimento.

É meu compromisso fazer de S. Nicolau uma economia capaz de criar riqueza, emprego e rendimento;

uma ilha ligada ao mundo e ao país através de um bom sistema de transportes aéreos e marítimos;

uma ilha com um bom sistema educativo e um bom serviço de saúde;

uma ilha governada por um governo regional política e tecnicamente competente.

Ligar a ilha ao mundo e unificar o mercado

Nenhuma ilha conseguirá desenvolver virada para dentro. Precisa de se interligar com as outras ilhas e com o mundo.

Isolar as ilhas é condená-las à pobreza e à perda de população.

Infelizmente, é isto que está acontecer em S. Nicolau. Um isolamento que levou mais uma machadada com a redução dos voos da TACV.

A nossa perspectiva de desenvolvimento é tornar cada ilha uma economia que se interliga no todo nacional e com o mundo.

Por isso, defendemos que o sistema de transportes aéreos e marítimos é condição fundamental para viabilizar a economia do país e a economia de cada uma das ilhas.

Sistema de transportes não é apenas portos e aeroportos; é regularidade, é segurança e é preços competitivos.

Aquilo que se produz em S. Nicolau deve poder chegar em tempo útil e em bons preços aos mercados das outras ilhas.

O sanicolaense deve poder se deslocar às outras ilhas e ao estrangeiro sem constrangimentos da disponibilidade de transportes.

Os emigrantes devem poder visitar a sua ilha sem constrangimentos de disponibilidade de transportes.

Os turistas não chegarão em número relevante para a economia da ilha, se não houver voos frequentes para S. Nicolau.

Se merecer a vossa confiança e a confiança dos Cabo-Verdianos em 2016, o isolamento desta ilha terminará. É uma emergência, pois sem transportes regulares de e para São Nicolau o desenvolvimento da ilha fica completamente bloqueado.

Desenvolver a economia da ilha

S. Nicolau é uma ilha com potencialidades para o turismo, agricultura, pecuária, pescas e indústria.

Turismo

Podemos erguer nesta ilha um turismo de alto nível e de alto valor acrescentado.

É nosso compromisso fazer de São Nicolau uma ilha turística sustentável e com oferta diversificada: turismo ecológico, de natureza, de saúde, das rotas da historia, do património construído e da cultura.

Um turismo complementar ao que se pratica nas ilhas do Sal e da Boa Vista.

Um turismo inclusivo, que beneficia a população local directamente através de empregos nos sectores da hotelaria, da restauração, das agências de viagens, dos guias turísticos, da animação, dos transportes.

Um turismo que alavanca a economia da ilha criando mercado para rentabilizar outros sectores como a pesca, a agricultura, a pecuária, o artesanato, as indústrias criativas, o comércio.

São Nicolau pode ambicionar atrair entre 5% a 10% dos turistas que chegam a Cabo Verde. Teríamos assim escala suficiente para fazer mudar o panorama económico e social da ilha.

Agricultura

Existem muitas localidades com potencialidades agrícolas, pecuárias, piscatórias e com potencial turístico, mas com pessoas pobres.

O nosso objectivo é aumentar o rendimento dessas pessoas nessas localidades através da produção.

Lá onde existem localidades com recursos e pessoas disponíveis para trabalhar, desenvolveremos políticas e programas para as incluir pela produção e pelo rendimento.

O nosso compromisso é criar condições para que cada localidade piscatória ou agrícola com potencial de produção possa dispor de infra-estruturas de apoio à produção, crédito, acessibilidades e formação visando aumentar o rendimento médio das famílias para níveis que lhes retirem da pobreza.

É uma via mais sustentável do que a assistência, que liberta da pobreza e dignifica o homem pelo trabalho.

Mas temos que apostar na agricultura para além da subsistencia. Há que apoiar os agricultores na modernização da produção e criar as condições de logística, de certificação de qualidade e de transportes para que possam colocar os seus produtos nos mercados turísticos.

Pescas

A ilha precisa crescer também voltada para o mar e para o conjunto de actividades ligadas ao mar.

São Nicolau tem elevado potencial para o desenvolvimento da pesca e da pesca industrial.

Dispõe de uma grande tradição ao nível das pescas e de uma indústria de conservas, a SUCLA, que já tem cerca de 80 anos a operar e que pode exportar para os EUA e a UE.

Uma fábrica como a SUCLA, que pode exportar e criar hoje 200 postos de trabalho, merecerá uma atenção especial do meu Governo.

Trabalharemos para trazer fundos de investimentos e fundos de capitais de risco mundiais que possam trazer capital, mercado e redes que a empresa precisa para expandir, exportar mais e criar mais empregos, dinamizando toda a economia da ilha.

É nosso compromisso resolver os problemas básicos que o sector das pescas enfrenta, relacionados com a capacidade congelamento (frio), a produção do gelo, os transportes e a segurança marítima e fiscalização.

Educação e saúde

Desenvolvimento da ilha exige um sistema de ensino e de formação com qualidade.

Um sistema educativo e de formação de excelência que trabalha, desde a base até ao topo, para que os jovens tenham domínio de línguas, de tecnologia e de competências.

Sejam cosmopolitas na sua relação com o mundo, portadores de valores, preparados para a aprendizagem ao longo da vida e enquadrados num ambiente escolar e universitário com cultura de investigação, experimentação.

Deve haver proximidade da oferta do ensino superior, o que pode ser facultado com recurso ao ensino à distância e às novas tecnologias.

O desenvolvimento exige um adequado sistema de saúde e um moderno sistema de evacuação, com uma cobertura adequada de médicos e enfermeiros, com equipamentos adequados para um bom serviço de saúde na proximidade.

É uma condição exigida pela necessidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas desta ilha e um imperativo para se desenvolver um turismo a sério, com impacto sobre a economia da ilha.

Ambiente favorável

Qualquer que seja o sector de actividade que queiramos desenvolver em S. Nicolau, vai precisar de um ambiente de negócios favorável.

Menos impostos, o que exige que o Estado gaste menos e aplique melhor os recursos.

Menos dívida pública, para que haja mais crédito à economia e em condições mais favoráveis.

Melhor burocracia e uma atitude que estimule e incentive aqueles que são empreendedores e que queiram empreender.

Regionalizar para desenvolver a ilha

Cabo Verde é constituído por ilhas.

Não é possível conceber o desenvolvimento deste país, sem considerar esta realidade e sem uma abordagem política, institucional e económica adequada à governação de cada ilha.

A ilha de S. Nicolau, assim como as outras ilhas, precisa ser encarada como um território com recursos humanos, culturais, naturais e económicos.

Precisa ser encarada como uma região com fortes complementaridades com S. Vicente, Sal e Boavista.

Precisa de um novo modelo de governação,  baseado numa estratégia de desenvolvimento que aborda a ilha em todas as suas dimensões: economia, infra-estruturas, ambiente, educação, formação, saúde.

Assumo o compromisso de dotar S. Nicolau de um modelo de governação regional com responsabilidade política para a definição e execução da estratégia de desenvolvimento económico e social da ilha.

Governação da ilha com objectivos e metas para o crescimento económico, para o emprego, para o aumento do rendimento, para a redução da pobreza e para a melhoria dos indicadores da saúde, da educação e do bem-estar da população.

Governação da ilha com governantes política e tecnicamente bem preparados, identificados com a ilha, conhecedores da ilha e engajados com o desenvolvimento da ilha.

Governação da ilha com governantes que se comprometem e se responsabilizam politicamente pelos resultados.

Tudo isto só será possível, com uma outra atitude do governo central face ao desenvolvimento das ilhas.

Com um governo descentralizador e que não tem medo de partilhar o poder.
Acredito nas nossas potencialidades e nas nossas capacidades enquanto país e nação.

Acredito em cada uma das nossas ilhas.

Seremos, em 2016, um governo interessado, estimulador e incentivador do desenvolvimento de S. Nicolau.

Conto convosco.

Cidade do Tarrafal, 25 de Setembro de 2015

Ulisses Correia e Silva
Presidente do MpD

Related posts

Leave a Reply

Deixar uma resposta