UM ANO DA ERUPÇÃO VULCÂNICA NA ILHA DO FOGO: GOVERNO INCAPAZ DE RESOLVER OS PROBLEMAS

fogo

O Presidente do MpD convocou Hoje a Imprensa parágrafo manifestar uma profunda indignação SUA cara à incapacidade do Governo em resolvedor OS Problemas dos desalojados de Chã das Caldeiras, Passado hum ano da erupção vulcânica.

 

Leia o comunicado na íntegra:

 

UM ANO DA ERUPÇÃO VULCÂNICA NA ILHA DO FOGO

 

Convoquei esta conferência de imprensa porque não podia deixar passar em branco o assinalar de um ano da erupção vulcânica na ilha do Fogo.

Quero nesta ocasião, expressar a minha profunda indignação face à incapacidade do governo em resolver os problemas dos desalojados de Chã das Caldeiras.

Muitas promessas foram feitas, medidas foram anunciadas, fóruns e conferências foram organizados.

A realidade é que decorrido um ano, as famílias de Chã das Caldeiras alimentam-se de cestas básicas; vivem em tendas, em casas arrendadas e em casas sem as mínimas condições: sem casa de banho, sem cozinha, sem água e sem energia. Famílias numerosas (com até 18 pessoas) vivem em casas e dois compartimentos.

Gente trabalhadora que vivia do rendimento do seu trabalho está hoje colocada na pobreza e a sofrer graves dificuldades.

Depois de um ano, o Governo foi incapaz de dar solução as famílias de Chã das Caldeiras, apesar de ter recebido muito dinheiro dos parceiros internacionais e da solidariedade dos cabo-verdianos no pais e na diáspora e de ter aumentado o IVA para financiar a reconstrução de Chã das Caldeiras.

Perante este quadro, é legítimo perguntar: onde estão e onde foram aplicados os milhões recebidos pelo Governo? Porquê é que o Governo não presta contas?

Só a incompetência e a insensibilidade social podem justificar a situação que perdura há um ano em Chã das Caldeiras.

O Governo foi incapaz de solucionar o problema da habitação para as famílias de Chã das Caldeiras, deixando as pessoas a viverem em situação miserável.

Foi incapaz de reconstruir a estrada de acesso a Chã das Caldeiras e às áreas agrícolas e turísticas impedindo a retoma da atividade económica.

Foi incapaz de reconstruir a Adega Cooperativa de produção do vinho apesar das promessas e das garantias dadas aos viticultores, fazendo quase desaparecer a grande marca do vinho Chã.

Criadores de animais ficaram à espera dos apoios prometidos.

Os guias turísticos ficaram parados durante um ano, por causa da interdição de escalada ao pico, medida tomada sem audição dos técnicos e sem visita ao vulcão.

Estudantes oriundos da Chã encontram-se completamente desamparados.

Já passou um ano; o Governo recebeu milhões de apoios, fez várias promessas, anunciou várias medidas e não se vêm resultados. As gentes de Chã das Caldeiras continuam a sofrer.

Há motivos mais do que suficientes para uma indignação geral dos cabo-verdianos perante a incapacidade e a insensibilidade social do Governo perante o sofrimento das pessoas de Chã das Caldeiras.

 

Dr. Ulisses Correia e Silva

Presidente do Movimento para a Democracia

 

Related posts

Leave a Reply

Deixar uma resposta