DECLARAÇÃO IMPRENSA MPD SOBRE TACV – COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL

DECLARAÇÃO IMPRENSA MPD SOBRE TACV – COMISSÃO POLÍTICA NACIONAL

Relativamente às recentes declarações do PAICV sobre a situação da TACV, a Comissão Política Nacional do Movimento para a Democracia, assume neste momento os esclarecimentos seguintes:

1. O MpD encarou sempre com interesse e elevado sentido de responsabilidade a situação da transportadora aérea nacional – a TACV. É natural que o PAICV esteja nesta altura com peso na consciência pela situação difícil em que o seu governo deixou a TACV. Depois de uma governação de 15 anos, o PAICV deixou uma empresa falida e com necessidades de financiamento de cerca de 330 mil contos por mês. A situação era de tal modo insustentável que permitiram que um Boeing fosse arrestado em Amsterdam, ficando a empresa apenas com um aparelho para ligações internacionais. Os ATR, que fazem a ligação inter-ilhas, estavam igualmente sob a iminência de serem arrestados.

2. O MpD assumiu sempre enquanto oposição, que a situação da TACV era grave e que apenas conhecíamos a ponta do iceberg. Estando no governo, vieram a confirmar-se os nossos receios: a situação é bem pior do que se supunha ser.

3. O MpD comprometeu-se em procurar uma solução para a TACV e é isto que o Governo está a fazer e tem nesta missão nobre e gigantesca total apoio político da Comissão Política Nacional do partido. A redução do pessoal é apenas uma parte da estrutura de custos operacionais da Companhia e cremos que é inevitável e necessária para que a empresa não feche as portas. O Governo do MpD vai fazer aquilo que o governo do PAICV não teve coragem de fazer e preferiu deixar a situação financeira e económica da empresa apodrecer para níveis que levaram à insolvência e à perda da sua credibilidade no mercado interno e externo.

4. Estamos a gerir este processo com tranquilidade e em concertação com importantes parceiros externos e organismos internacionais. Garantimos que no processo de redução do pessoal todos os direitos dos trabalhadores serão salvaguardados e os sindicatos serão envolvidos.

5. Segundo o Governo afirmou publicamente, a reestruturação da empresa mediante redução de pessoal e outras medidas operacionais a cargo do Conselho de Administração, será acompanhada de privatização através de escolha de um parceiro estratégico.

6. Sobre mais informações solicitadas pelo PAICV, o Governo prestará na comissão especializada competente da Assembleia Nacional os necessários esclarecimentos.

Lourenço Lopes – Membro Comissão Política Nacional MpD

Related posts

Leave a Reply

Deixar uma resposta